Symphonic Gardens

O Parque de Lazer da Fundação Gramaxo acolhe a exposição de pintura e escultura de Sónia Travassos e Miguel A. Rodrigues - Symphonic Gardens.

A iniciativa consubstancia um dos principais objetivos estratégicos da Fundação – facultar o acesso, como zona de interesse cultural e de lazer à Quinta da Boa Vista, designadamente aos seus jardins, à sua mata e aos seus edifícios.

"Conjecturando sobre um dos mais belos Jardins do Concelho, surgiu a ideia de o elevar a um outropatamar para lá do óbvio, fazendo jus ao que nele melhor respira para além das árvores.
Nasce assim a ideia de programar uma Exposição por forma a recuperar esse sentido poético do lugar de ser, de sentir e de ver. O Jardim como lugar original da vida, como espaço de mediação entre o céu e a terra, o sagrado e o profano.
A partir desta conceptualização, acreditamos que com Symphonic Gardens o objecto artístico se transforma numa espécie de fio ligante entre a arte, a natureza e o sagrado, na procura de uma exaltação polifónica de sentidos entre o objecto que é a arte e a realidade que o suporta.
Com a pintura do pecado passional ou abismal da Paixão e a contemporaneidade das peças barrocas, moldadas com materiais antes usados na criação de limites, ao espaço Senhorial individual privado, Sónia Travassos e Miguel A. Rodrigues conferem sentido ao objecto pintado e esculpido, materializado-o numa sinfonia verde.
Certa de que desta combinação resulta uma efectiva emoção estética, atrevo-me a perspectivar esta Exposição como um jogo de decomposição do habitual e de fruição do improviso, verdadeira provocação à consciência da matéria que nos obriga a ver com um olhar diferente.
“Esta é uma exposição que se pretende sofrida, em ode à paixão louca e desequilibrada, de consequências quase desastrosas. Ou não.” Sónia Travassos
“Antigamente as esculturas eram feitas para os donos das casas. Hoje os jardins abrem-se, partilham-se, e estas redes que separavam são também esculturas em jardins que florescem com as comunidades, em sinfonia.” Miguel A. Rodrigues
É como se Symphonic Gardens exaltasse os sentidos em busca de um sentido primordial maior, na certeza de que a criatividade, manifestação intrinsecamente humana, é o melhor espelho da natureza da nossa contemporaneidade, cada vez mais informada pela polifonia dos sentidos."

Marta Peneda

 

Obras Presentes Nesta Exposição